Pré-amplificador de phono. Sabe o que é e quando usar?

É meus amigos e amigas, hoje nosso papo é sobre preamp ou pré-amplificador de phono. E vocês sabem o que é isso? Então, vamos à nossa Conversa de Vinil que falará tim tim por tim tim deste assunto.

Em suma para início de papo: a arquitetura dos toca-discos não consegue trazer um som alto e potente para ser escutado e ele precisará de uma “ajudinha” para que o som saia bem bacana. E por que isso?

A emissão sonora dos toca-discos vem do contato da agulha com o disco e o resultado deste contato é emitido pela cápsula que vai pela fiação do tocador de vinil para algum amplificador. Num resumo muito breve a engenharia dos toca-discos é dividida em 3 partes: uma, a que faz a rotação do prato, a acústica (para que os possíveis ruídos internos não atrapalhem a escuta da música), o serviço de estabilização do aparelho para ele não balançar enquanto um disco é rotacionado, bem como, a precisão e peso do braço; outra, a que emite o som e a terceira, as vias (fiação) que passam o sinal elétrico que a cápsula emite.

Com isso, dá para percebermos que um toca-discos é, na verdade, um conjunto de situações distintas, que juntas farão com que você possa escutar tranquilamente seu disco. Mas, já dá para perceber que estas 3 partes trabalham separadamente, onde cada uma tem uma função.

Hoje vamos nos ater à questão da saída do som para algum sistema que faça com que o sinal audível saia para as caixas acústicas. Esse sistema consiste da agulha, cápsula e a fiação (as vias) onde este sinal sonoro perpassa pelo toca-discos para ir para algum receiver, amplificador ou semelhante.

Nos toca-discos mais atuais é costume eles já virem com um sisteminha elétrico-eletrônico que costumamos chamar de pré-amplificador de phono ou, simplesmente, preamp. Assim, muitos de vocês já devem ter reparado quando compram um player de vinil com a seguinte informação: com saída preamp ou contém pre-amplificador de phono (são termos semelhantes). Todavia, não são todos que têm este sistema embutido e aí você precisará de um amplificador ou receiver que tenha uma entrada phono. Caso, não tenha terá que adquirir um pré-amplificador de phono (ou como também costumam chamar: preamp) em separado.

A partir da informação acima é importante ressaltarmos que é este preamp ou a entrada phono que farão a amplificação do som emitido pelo seu toca-discos. Sem o pré-amplificador ou a entrada (que na verdade é um preamp embutido no aparelho receptor) o som sairá baixíssimo, quase inaudível. Assim, não basta seu receiver ou amplificador ter uma entrada auxiliar. É necessária uma entrada phono. Entrada auxiliar e entrada phono não são sinônimos e não fazem o mesmo trabalho. São condições distintas!

Fiquem atentos às seguintes situações:

– Toca-disco com preamp embutido DEVE ser plugado na entrada auxiliar do receiver (ou amplificador).
– Toca-discos sem preamp embutido, mas receiver (ou amplificador) com entrada phono. O toca-discos DEVERÁ ser plugado na entrada phono do receiver (ou amplificador).
– Toca-discos com preamp embutido e receiver (ou amplificador) com entrada phono e auxiliar. O tocador de vinil DEVE ser plugado na entrada auxiliar do receiver (ou amplificador).
– Toca-discos sem preamp e receiver (ou amplificador) sem entrada phono. Aqui entra o aparelhinho pré-amplificador de phono, onde o tocador de vinil será plugado na entrada do aparelho e o receiver (ou amplificador) comunicará com o pré-amplificador de phono fazendo uma ligação com a entrada auxiliar do receiver (ou amplificador) com a saída do aparelhinho pré-amplificador de phono.

Seguindo as orientações acima, está resolvido seu problema!

Exemplo do Amplificador Yamaha A-s501 que já vem com entrada phono, clique na imagem para ver melhor

Felizmente, no Brasil temos fábricas que constroem preamps – ao contrário dos toca-discos que nenhum é fabricado aqui – e, assim, os pré-amplificadores de phono não são caros. Você conseguirá comprar algum que faça um bom trabalho por menos de R$200,00, mas, óbvio, tem preamp de todo o preço e alguns podem chegar a mais de 3 mil Reais – principalmente de marcas audiófilas e valvulados.

Preamps da marca brasileira ER Pires

 

Preamp marca Rega, valor acima de R$ 2 mil

Com essa nossa Conversa de hoje, você já sabe: fique atento quando for adquirir um toca-discos e veja se onde ele será acoplado (no seu receiver ou amplificador) tem entrada phono ou não e, obviamente, se seu tocador de vinil já vem com preamp – se vier, você poderá pluga-lo na entrada auxiliar, do contrário, não!

Então… bora colocar um disco para tocar?

_______

Todo domingo às 19h na Rádio UFS FM 92,1 tem o programa Conversa de Vinil
Você pode escutá-lo pela web em radio.ufs.br ou a partir do podcast, clicando aqui

Quer saber mais sobre o “ressurgimento” do Vinil? Clique aqui!
Quer saber sobre a qualidade sonora do Vinil, do CD, do streaming e do MP3? Clique aqui!
Sobre os toca discos? Clique aqui!
Cuidados com seus discos? Clique aqui!
Como e onde comprar? Clique aqui!

Quer interagir? Utilize a seção contato, clicando AQUI!

Faça o download gratuito do livro Conversa de Vinil: o universo dos discos de vinil ou o adquira no formato papel para ajudar o UV a se manter sem a necessidade de propagandas ou patrocínios clicando AQUI

 

Website Malware Scan