Exposição do Kanazawa Institute of Technology do Japão com mais de 5 mil capas de discos

Só para japonês ver (ou o sortudo que estiver de passeio no Japão) numa exposição com aproximadamente 5 mil capas de discos que fizeram história e que ao mesmo tempo contam a história de seu tempo.

Tachikawa (supervisor do Kanazawa Institute of Technology – KIT – em Kanazawa – Japão) escolheu o melhor dos melhores discos da coleção da instituição – com mais de 240 mil exemplares – para uma exposição que analisa a história da música popular e a evolução do século 20. “Sekai o Kaeta Record Ten” (Exposição sobre álbuns que mudaram o mundo) acontece até 23 de julho deste ano na torre da Capital do Conhecimento, na Grande Frente da cidade de Osaka até 23 de julho.

Cerca de 5.000 valiosas capas de álbuns estão em exibição, incluindo “Elvis Presley” (1956) de Elvis Presley; “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band“ (1967) dos Beatles; “The Rise and Fall of Ziggy Stardust e Spiders from Mars” (1972) de David Bowie; além de “The Dark Side of the Moon” (1973) do Pink Floyd e muitos outros.

Nascimento da coleção:

Quando o produtor Naoki Tachikawa leu um artigo há cerca de 30 anos que a previsão da produção de discos de vinil cessaria no futuro, ele acreditava firmemente que a cultura precisava ser preservada. O artigo levou-o a doar 17.000 registros de sua coleção para Kanazawa Institute of Technology (KIT) em Kanazawa. Com base na doação de Tachikawa, o instituto fundou a Coleção de Música Popular em sua biblioteca em 1992. O número de itens na coleção desde então expandiu para 240.000, graças a doações do crítico de música Ichiro Fukuda (1925-2003) e muitos outros entusiastas em todo o país.

Tachikawa, nasceu de uma família amante da música em Asakusa, Tóquio e começou a escrever notas nos seus discos e, assim, lançou sua carreira como crítico de música. Ele passou a comprar mais e mais discos. “Antes do advento da mídia gravada a música era apreciada principalmente por pessoas ricas que ouviram performances ao vivo. O desenvolvimento de LPs de vinil em 1948 tornou mais fácil para qualquer pessoa ouvir música e se não fosse pelos discos, a cultura musical não teria sido tão afortunada” disse Tachikawa.

A exposição é dividida em quatro seções e a primeira apresenta observações famosas de músicos. Em outro, os visitantes podem apreciar capas de discos altamente artísticas. Tachikawa apontou que os projetos das capas também atraíam pessoas para o vinil. “Os vinis foram os primeiros objetos de arte que o público em geral poderia facilmente conseguir”, disse ele. “A música e os projetos das capas foram muitas vezes sincronizados com o tempo, mas se distanciaram em outros”. A principal característica da exposição é um longo e sinuoso muro que narra a história da música popular – cerca de 4.000 inscrições são escritas com os lançamentos de registros e eventos sociais historicamente importantes.

Toda exposição foi realizada com o auxílio dos alunos do Instituto Kanazawa. “E a exposição é uma crônica de 50 metros de comprimento que mostra as mudanças históricas a partir de uma ampla perspectiva – de que tipo de música nasceu e em que época ela foi “aceita”, para que tipo de equipamento de áudio era produzida e como mudava a cena musical” disse Tachikawa. O layout da exposição foi projetado por cerca de 20 alunos na faculdade de engenharia ambiental e arquitetura do KIT, a maioria dos quais nunca colocou antes um disco para tocar. Eles começaram seus preparativos em armazem perto do instituto cerca de três meses antes do início da exposição.

Mais detalhes clique aqui (site em japonês, mas nada como um Google Tradutor para entender melhor)

Bacana né?

Material de divulgação: