Os 10 acontecimentos mais marcantes do mundo do vinil em 2017

Toda ano aquela história de fazerem as listas dos mais mais, dos maiores acontecimentos, das coisas mais pitorescas, das retrospectivas… Pois é, final de ano abre a temporada das listas e, obviamente, sabemos que elas não são completas e podem desagradar alguns pela falta de algo ou pela colocação de itens que para outros não deveriam estar presentes.

É… as listas não agradam todos, porém, é gostoso correr este risco, e é assim em todas as mídias que trabalham com notícias e nós não vamos ser diferentes. Afinal, em 2015 e 2016 realizamos artigos semelhantes e não vamos deixar de fazer este ano já que isso nos diverte bastante e acaba nos provocando a por a memória em dia.

Uma constatação: 2017 foi realmente o ano do vinil! E nós já estávamos apontado isso em duas situações:

E antes de começarem a leitura dos 10 mais, vale ressaltar: este ano foi tão espetacular que alguns itens ficaram de fora, afinal, nosso desejo é destacar somente 10 acontecimentos, mas, com certeza daria uma lista de 20 ou mais.

Êta ano porreta para o vinil este de 2017!

Previamente à leitura da lista queremos falar um pouquinho do UV, pois este será nosso último post do ano – entraremos em recesso e só retornaremos no dia 07 de janeiro de 2018 – e 2017 foi muito marcante e tivemos algumas questões que são importantes para nós e gostaríamos de dividir com vocês, entre elas:

– Nosso programa de rádio Conversa de Vinil: um sonho antigo que era um programa de rádio que falasse só de vinil e de tudo que o cerca, e conseguimos neste 2017 a partir da Rádio UFS (uma rádio pública universitária pertencente à EBC e vinculada ao Núcleo de Editoração e Audioviual da Universidade Federal de Sergipe – NEAV/UFS). Nosso Conversa de Vinil está no ar todos os domingos às 19h na UFS FM e na Internet – clique aqui para ouvir.

– Nossos números no Facebook: Chegarmos a um número superior a 60 mil seguidores/curtidores no Facebook. Um contingente expressivo que nos coloca como a maior Rede Social de língua portuguesa sobre discos de vinil (excetuando as da mídia oficial e da indústria e comércio de discos).

– O UV agora é marca registrada e ficamos muito contentes: Universo do Vinil passou a ser marca registrada no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual), portanto, podemos orgulhosamente grafar nosso nome como Universo do Vinil® e isso mostra a nossa seriedade e profissionalismo em tratar este universo dos discos, porém, vamos continuar grafando como sempre escrevemos nosso nome: Universo do Vinil ou, simplesmente, UV – quer saber mais sobre o que é uma marca registrada e sua importância? Clique aqui.

– Nosso mais novo livro – Conversa de Vinil: a nova Era de Ouro dos discos de vinil – que já é o segundo realizado por membros da equipe do UV e você pode fazer o download gratuito dele clicando aqui ou esperar janeiro de 2018 para adquirir o seu em papel!

 Sem mais mimimi, vamos lá:

Os acontecimentos mais importantes de 2017 pela ótica do Universo do Vinil:

 

Toolex Alpha – fábrica de maquinário para indústria do vinil

1 – A entrada definitiva de novos maquinários para a fabricação de discos – anteriormente as fábricas eram na verdade reconstruções a partir de máquinas antigas recauchutadas e não existiam empresas que fabricassem novas para a confecção de discos. Isso era um grande problema para o crescimento da indústria do vinil que foi sanado neste ano de 2017.

2 – Falando em fábricas, com o advento do ressurgimento da indústria de maquinário para a fábricas de discos, nunca tivemos tantos anúncios de novos empreendimentos para confecção de vinil. 2017 foi um marco jamais visto anos antes na nova Era de Ouro dos discos de vinil.

3 – Ainda no papo fábrica, o funcionamento completo da Vinil Brasil – a segunda fábrica de discos brasileira – e o enraizamento da Polysom que se manteve firme e forte com lançamentos periódicos. Ambas mostram que o disco brasileiro tem mercado e está no gosto popular. Neste quesito podemos também acrescentar mais fábricas sendo abertas na América do Sul, em especial na Argentina e Chile.

 

4 – A variedade de toca-discos sendo colocada no mercado internacional e a mostra com a Technics que preço não é problema para muitos abastados amantes do vinil. Seus modelos SL-1200 G/AE (de 2016) e a versão menos requintada 1200 G/AE (de 2017) foram totalmente vendidos em um piscar de olhos a preços elevadíssimos. Por outro lado, modelos mais baratos se popularizaram e ficaram na crista da onda entre os objetos de desejos (e de aquisições efetivas) de muitos fãs de discos.

5 – Falando em toca-discos, no Brasil infelizmente é um fato negativo na nossa lista: o Brasil continua longe, mas, muito longe da oferta de bons toca-discos no nosso solo e mantém, para tristeza, as mesmas características de anos anteriores, ou seja, nada de novidades e de preços justos no quesito qualidade X valor. Nosso toca-disco continua sendo importado e com preços elevadíssimos por aqui, mesmo aqueles bem baratos no mercado internacional.

6 – Nunca se vendeu tanto disco e caixas (box) bem elaboradas. No mercado americano do norte, só para se ter uma ideia, em 2016 foram lançadas 520 caixas, neste ano de 2017 foram 630. E as vendas continuam em alta! Ainda não chegaram as estatísticas de venda de discos, mas, com certeza será maior que 2016, sem contar que será maior também o valor obtido.

7 – A entrada definitiva da juventude como consumidora de discos criou uma verdadeira mudança no mercado de itens analógicos ocasionando aumento de vendas não só em discos, como também em livros de papel, fotografia analógica e coisas do gênero.

8 – O anuncio do e-Bay inglês sobre sua pesquisa de consumo durante os 18 anos de funcionamento no Reino Unido colocou os discos e objetos vintage como os mais procurados nesta quantidade de anos de funcionamento do gigante de vendas nas Terras da Rainha.

9 – 2017 também foi marcado pela abertura de lojas de discos. Só no Canadá, uma cadeia de lojas abriu mais de 60 e nos EUA a volta definitiva das vendas em pontos como supermercados e lojas de departamento. No Brasil, o fenômeno segue a tendência mundial de aberturas de lojas e novos pontos de vendas.

10 – O movimento das majors (as maiores gravadoras do mundo) mostrou-se mais contundente neste ano. Diferente de anos anteriores, as majors começaram a se mexer mais perante o mercado de discos, chegando ao ponto da Sony anunciar a abertura de sua fábrica no Japão – ela é a primeira das majors a anunciar tal feito.

E fora dessa lista, mas bem poderia estar e merece um destaque foi a retomada de vendas mais significativas das fitas cassetes. Em 2017 o aumento de vendas foi espetacular e deu muito o que falar na mídia especializada.

É minha gente! Esse ano foi demais e isso nos faz crer que 2018 será melhor ainda!

Que venha 2018! E aproveitamos para desejar um Feliz Natal e um 2018 maravilhoso para todos vocês!

_______

Todo domingo às 19h na Rádio UFS FM 92,1 tem o programa Conversa de Vinil
Você pode escutá-lo pela web em radio.ufs.br ou a partir do podcast, clicando aqui

Quer saber mais sobre o “ressurgimento” do Vinil? Clique aqui!
Quer saber sobre a qualidade sonora do Vinil, do CD, do streaming e do MP3? Clique aqui!
Sobre os toca discos? Clique aqui!
Cuidados com seus discos? Clique aqui!
Como e onde comprar? Clique aqui!

Quer interagir? Utilize a seção contato, clicando AQUI!

Faça o download gratuito do livro Conversa de Vinil: o universo dos discos de vinil ou o adquira no formato papel para ajudar o UV a se manter sem a necessidade de propagandas ou patrocínios clicando AQUI