Onde concentra o comércio de discos novos no Brasil?

Sempre que falamos sobre vendas de discos novos nas nossas postagens no Facebook há uma gama de pessoas que dizem não existir comércio de novos discos em suas cidades, excetuando algumas que (ainda bem) têm sebos vendendo discos usados. Alguns chegam a afirmar que vinil novo só tem no Sudeste brasileiro, ou seja, para estes a onda do vinil não existe nas suas localidades.

Ora, isso é uma característica do nosso comércio: as vendas de vinil novo, com raras exceções, é eminentemente no e-commerce! E é esta a característica deste comércio. Mesmo levando em conta grandes e médias cidades, existem muitas que sequer têm estabelecimentos para comercialização de discos novos.

Uma primeira questão que precisamos chamar a atenção é de que isso não é culpa do nosso comerciante. Conversando com pessoas percebo vários querendo abrir algum tipo de negócios que envolvam discos. O problema é qual mercadoria vender?

Nossa produção interna, em matéria de oferta de títulos, é pequena. Lembrando sempre que são apenas duas fábricas no Brasil e a importação (se a lei não for efetivada) é muito onerosa para criarem condições competitivas de vendas de vinil em lojas físicas.

Um empresário para abrir uma loja precisa de alguma grana e um lucro suficiente para pagar as contas, aluguel, empregados (se tiver), impostos, taxas e etc. Porém, nossa produção interna não oferece um número satisfatório de álbuns para gerar lucros capazes de pagarem o que precisa e lucrar. E repassar os custos da importação para o comprador só serve para encarecer mais o produto e espantá-lo da loja.

Então, mediante todos estes problemas, qual foi a saída do comércio brasileiro de vinil novo? Ir para as lojas online. Ir para a Internet!

Afinal, os custos de manutenção de um e-commerce são bem menores que de um local físico e esse tipo de venda não é problema, muito pelo contrário, foi a solução!

Portanto, quando ouço as pessoas dizerem que não encontram discos novos para comprar, logo penso: ué, não acham na Internet? Tem aos montes!

Só que nem tudo são flores. Existe um problema sério que não é culpa dos comerciantes. Os Correios vêm atrapalhando muito essa comercialização, fazendo com que os compradores pensem duas vezes em adquirir ou não os discos por causa da demora da entrega e do preço lá nas alturas do frete. É inconcebível comprar um disco e pagar R$30,00 de frete ou mais, para um produto que pode demorar além de 10 dias úteis para chegar na residência do comprador. Isso, desculpem a palavra: é uma cachorrice! O que é 80, vira 110 (ou mais!). Sem contar os perigos que nossos disquinhos passam pelas mãos não tão mais cuidadosas do serviço de entrega. Infelizmente, esta é nossa realidade. Mas, não devemos nos afastar, devemos é confiar nas lojas virtuais. Existem muitas muito bacanas por aí e com pessoal atencioso no trato e repleta de novidades.

Quer dicas sobre como comprar discos pela internet? Clique aqui

Então, não se preocupe. Tem loja de discos perto de você, sim. Ela fica no seu computador, tablet ou smartphone… Ela fica mais perto do que você imagina! E, se por acaso, sua cidade tem uma loja física, também não se acanhe. Frequente-a. Podes crer, é o maior barato!

 

________________________

Todo domingo às 19h na Rádio UFS FM 92,1 tem o programa Conversa de Vinil
Você pode escutá-lo pela web em radio.ufs.br ou a partir do podcast, clicando aqui

Quer saber mais sobre o “ressurgimento” do Vinil? Clique aqui!
Quer saber sobre a qualidade sonora do Vinil, do CD, do streaming e do MP3? Clique aqui!
Sobre os toca discos? Clique aqui!
Cuidados com seus discos? Clique aqui!
Como e onde comprar? Clique aqui!

Quer interagir? Utilize a seção contato, clicando AQUI!

Faça o download gratuito do livro Conversa de Vinil: o universo dos discos de vinil ou o adquira no formato papel para ajudar o UV a se manter sem a necessidade de propagandas ou patrocínios clicando AQUI