Raveo Concert One, uma boa novidade

A Raveo é uma conhecida importadora e desenvolvedora de toca-discos e vitrolas. Se você é um  brasileiro amante dos disco de vinil já deve ter ouvido falar dela.

Ano passado (2018) esta empresa lançou um modelo com as características mais esperadas dos fãs do vinil: um sistema de som que tivesse receiver, toca-discos e caixas de som de forma modular, mas que também pudessem ser adquiridos por partes e não custassem os “olhos da cara”. Assim, nasceu o Concert One como um sistema único ou o toca-discos TR-1000 e o Receiver RR-1000 (a imagem acima é do Sistema Concert One – completo).

Abaixo as imagens do(s) produto(s), as características que a Raveo afirma que possuem, alguns vídeos, preço e no fim nossas observações:

Receiver RR-1000
Toca-discos TR-1000
TR-1000 Verso
Ligações e terminais traseiros do Raveo Concert One
Modelo da agulha Audio Technica do TR-1000

O Concert One tem feito tanto sucesso que na Amazon já chegou a ser o sexto produto mais vendido na seção “Som para a Casa” e no momento da escrita desta matéria está na 9ª posição (o que também é muito bom). Ou seja, é um produto “queridinho” dos consumidores. Também pudera, está na faixa entre R$ 1880,00 a R$ 2400,00 (quando comprado o sistema completo) e mais ou menos de R$ 999,00 a R$ 1100,00 para o toca-discos e de R$1100,00 a R$1400,00 o receiver em separado (as caixas de som vêm juntas) – para o brasileiro que tem uma grana a mais para gastar com aparelhos de som para a audição de vinil, os preços são bem em conta, todavia, compensa pesquisar, pois é muita variação de valores.

Percebam o quanto este sistema é importante para o fã do vinil, pois se fosse comprar um modelo (não usado e sim novo) com características semelhares ao Concert One (modular e de outras marcas), com certeza o valor gasto seria superior a R$ 3500,00 (some o toca-discos, o receiver e as caixas em separado para compreender o que estamos falando).

Leia o que a Raveo fala do seu produto:

O Raveo Concert One foi desenvolvido com inspiração nos aparelhos de som modulares que tanto marcaram as décadas de 70 e 80 e que continuam influenciando o design de produtos eletrônicos até os dias de hoje. O frontal em “aço escovado” emoldurando os icônicos medidores tipo VU são símbolos de uma era que cultuava o equipamento de áudio como o mais importante objeto eletrônico da casa. O Raveo Concert One tem a ambição de recolocar o áudio como protagonista do Home Entertainment, levando às festas com a galera e as comemorações em família uma nova atmosfera, mais vibrante e refinada.

Curta o retorno do LP com estilo e qualidade

O toca-discos de duas velocidades Raveo TR-1000, que equipa o Concert One, coroa este grandioso conjunto de áudio aliando design e precisão. A Raveo em parceria com a Audio-Technica, líder Japonesa na fabricação de cápsulas e agulhas, equipou o TR-1000 com o que há de melhor em componentes de precisão para reproduzir todos os sutis detalhes das micro-ranhuras de seus LPs. Outros componentes importantes compõe esta joia da tecnologia: braço em metal, contrapeso para aplicação da pressão correta entre a agulha e o disco de vinil, função anti-skating, controle de velocidade de rotação e uma impecável tampa de proteção acrílica.

Seus arquivos de músicas digitais a um toque

O Receiver RR-1000 que equipa o conjunto Concert One, além de ser uma belíssima peça de engenharia, ressaltando todo o esplendor de uma época grandiosa do áudio, está equipado com o melhor da tecnologia digital. Músicas arquivadas em seu smartphone, tablet ou computador podem ser reproduzidas sem dificuldade, é só pareá-lo com o Bluetooth do receiver e pronto, todas suas músicas digitais à distância de um toque. Para os aparelhos equipados com a tecnologia NFC (comunicação em campo próximo) é ainda mais fácil, é só aproximá-los do sensor do NFC no painel do RR-1000 e a conexão acontece de forma automática.

Curta suas rádios favoritas

O receiver Raveo RR-1000 que equipa o conjunto Concert One permite que você escute suas rádios favoritas sem chiado e dificuldade de sintonização. A seleção das estações de FM é feita com precisão, inclusive por meio de busca automática (auto scan) e a antena de FM integrada ao aparelho auxilia na qualidade de recepção de sinal, tornando plena a experiência de curtir suas estações de rádio favoritas. É possível memorizar até 20 estações para alcançar as rádios preferidas com poucos toques.

Escute seus CDs e CD-R/RW com alta-fidelidade

A qualidade sonora do Raveo Concert One resgata o desejo de ouvir os CDs que marcaram momentos inesquecíveis de sua vida. Experimente toda a qualidade que um CD de áudio pode oferecer. O Raveo Concert One reproduz também CDs graváveis e regraváveis em arquivos MP3.

Grave seus LPs e CDs

O Receiver RR-1000 do Raveo Concert One possui entrada USB, onde além de reproduzir seus áudios preferidos, permite a gravação a partir do vinil e CD.

Conteúdo das Embalagens:

– Toca-Discos TR-1000

– Adaptador de Tensão

– Receiver RR-1000

– Par de Caixas Acústicas

– Controle Remoto

– Manuais de Instruções

Características:

– Toca-Discos: 33 1/3 e 45 RPM

– Agulha: Audio-Technica

– CD Player: CD / CD-R / CD-RW

– Formatos Suportados: Áudio CD / MP3

– Rádio FM: 87,5 – 108 MHz

– Bluetooth com NFC

– Entrada USB: Reproduz e Grava

– Entrada Auxiliar

– Saída Auxiliar

– Saída para Fone de Ouvido

– Especificações Elétricas TR-1000: Adaptador de Tensão 12 Volts

– Especificações Elétricas RR-1000: 100 – 240 V ~ 50 – 60 Hz

– Potência RR-1000: 80 Watts

– Dimensões Aproximadas do Produto Montado (L x A x P): 71,00 x 36,40 x 35,00 (cm)

– Peso Aproximado do Produto: 12,50 Kg

– Dimensões Aproximadas com Embalagem (L x A x P): 51,00 x 57,30 x 43,80 (cm)

– Peso Aproximado com Embalagem: 13,60 Kg

Se quiser saber mais ainda, a Raveo disponibilizou os manuais dos produtos. Clique AQUI para ler os manuais

Observe 5 vídeos que encontramos na internet sobre o Raveo Concert One:

Nossas observações:

Primeiro achamos o toca-discos TR-1000 muito parecido com a linha TN da TEAC (importante fabricante japonesa de artigos para música), principalmente o TN-350 (excetuando que o modelo japonês vem com ligação USB e o modelo importado pela Raveo, a ligação USB é via o Receiver com gravação em pen drive).

Observe a frente e verso do TN-350:

Esta semelhança nos faz especular que a Raveo esteve em contato com o fabricante chinês da TEAC ou, pelo menos, se inspirou na linha da fábrica do País do Sol Nascente. Lembrando aos leitores que no Brasil ninguém fabrica toca-discos, todos são importados e o modelo que estamos apresentando neste artigo, não foge à regra – também é importado – porém, vendido e distribuído por uma empresa nacional.

Segundo, que infelizmente ainda não pudemos ver o aparelho ao vivo. Nossas observações são todas retiradas de comentários, sites de vendas e especializados que apresentam o produto na web, mas isso não tira nossos méritos, pois resolvemos colocar aqui tudo que achamos deficitário e de positivo encontrado nos locais pesquisados e, assim, podermos ter algumas impressões mais realistas. Todavia algumas dúvidas ainda pairam no ar, pois nem no manual essas perguntas são contempladas, como:

  • a shell é intercambiável?
  • mesmo que a shell não seja intercambiável, a cápsula pode ser trocada ou ela é “chumbada” no braço? (isso interessa a muitos fãs do vinil).
  • se, porventura, a shell não puder ser trocada e nem a cápsula, o contrapeso existente não seria apenas um refinamento visual e na prática não serviria de nada? Afinal, a agulha de reposição seria sempre a mesma de 3,5 gramas (conforme o manual)? Então, num próximo modelo não deveriam excluir este artifício para baratear o produto ou tornar a shell permutável?
  • qual o modelo da agulha Audio Technica? E quais as características (cônica ou não, de diamante ou de outra dureza)?
  • o peso de 2,5 kg do TR-1000 é o suficiente para dar estabilidade e assim evitar que o toca-discos trepide?
  • é possível utilizar o equalizador embutido no Receiver para ajustar o som do vinil ou apenas graves e agudos? (nos vídeos acima do André Fontes e da Viviane Xavier este assunto não é tratado)
  • e ainda nesta perspectiva, é possível acoplar um equalizador em separado (se usarmos o toca-discos na entrada phono)?
  • existe um controle de liga/desliga na traseira do toca-discos e outro na parte superior. Quais os motivos para 2 liga/desliga ou para que servem 2 controles distintos para ligar e desligar o tocador de vinil? Aparentemente o da parte superior é apenas para fazer o prato deixar de girar, mas ao fazer isso desliga todo o toca-discos? Portanto, o da parte superior seria apenas um tipo de botão “stop” como tem alguns toca-discos para DJs?
  • Não existem quaisquer informações sobre as caixas de som ou as poucas que conseguimos “captar’ são muito insuficientes (e é importante as informações sobre as caixas!), como por exemplo, cada uma emana 40 watts de potência fazendo o par somar um produto com 80 wattts ou ambas são de 80? Ou apenas o receiver tem a capacidade de até 80 e as caixas tem potencias superiores?
  • qual a quantidade de ohms da caixa? (item importante caso o proprietário do sistema queira utiliza-las em outro receiver, por exemplo)

Por fim:

O Concert One é um belt-drive com a presença de contrapeso, controles anti-skating e de velocidade de rotação (controle de pitch), braço de metal (com retorno automático no final do disco) e prato também metálico que são grandes diferenciais, sem contar o design clean e bonito que segue tendências internacionais e a agulha Audio Technica (que mesmo nos parecendo a Atn3600l) mostra um “carinho” na confecção do produto. A possibilidade de usar o pre-amp embutido ou não é coisa para parabenizar a Raveo. Nisso acertou em cheio, pois existem muitas reclamações de toca-discos que obrigam a usar apenas o phono interno e aquele consumidor que gostaria de colocar seu tocador num pre-amp valvulado e cheio de “nhe nhe nhem” para melhorar o som fica a “ver navios” – isso é desanimador! E acertadamente a potencia de 80 watts é um volume que agrada a maioria das pessoas.

Quanto ao som que emana escutado no vídeo do André Fontes nos parece bacana, menos o que mais nos interessa: o do vinil. Mas este vídeo não é referencia sobre mídia analógica, afinal, ele não nos mostrou se é possível equalizar o som a partir do equalizador embutido e colocou apenas um disco (que não sabemos da qualidade da gravação) e muito menos sabemos se o pulado que as imagens nos mostra é do vinil ou do toca-discos, portanto, neste quesito (que é muito importante) não podemos dizer muito a partir deste vídeo.

Já nos vídeos da Viviane Xavier a visão panorâmica apresentada e as imagens das traseiras do sistema nos permitem ter uma boa impressão da construção dos aparelhos e da serigrafia. O som soa muito melhor e mais agradável, contudo, em todos que aparecem discos tocando há uma irregularidade na estabilização do prato (como mais evidente no vídeo do André) – se isso for um problema na construção do toca-discos, a Raveo não deveria ofertar um “clamp” para resolver o caso ou, pelo menos, passar a vender tal acessório? E no final das contas nenhum vídeo apresentou o experimento com o equalizador embutido. Uma pena, pois isso poderia ser um grande diferencial e ficamos bastante curiosos sobre como soaria um disco no equalizador nativo do receiver.

Apesar das dúvidas que apresentamos acima, o Concert One e até mesmo seus aparelhos em separado preenchem uma lacuna no mercado nacional de toca-discos e receivers que é justamente trazer um produto com boas características a uma faixa de preço mais acessível. Até agora não existe nada semelhante no mercado tupiniquim de aparelhos novos e quem sabe este ato faça uma diferença na oferta de produtos um pouco mais sofisticados que os  vendidos no Brasil e neste preço.

Percebe-se que o sistema de som tem feito um grande sucesso de vendas e isso é um sinal que caiu no gosto do consumidor e como há poucas “reclamações” sobre o produto (e olhem que pesquisamos bastante) podemos concluir que é uma boa pedida, ate mesmo porque, apresenta características ainda não encontradas em produtos à venda no Brasil nas mesmas condições de preço.

Nos parece que a Raveo acertou em cheio ao ofertar, digamos assim, um produto médio. Não é um top de linha (para isso, prepare o bolso), mas também não é (pelo que pesquisamos) algo negativo. Muito pelo contrário, se apresenta como uma boa alternativa para quem tem 2 mil Reais disponíveis e quer um sistema de som completo e superior aos até agora vendidos por aqui na faixa das “2 mil pratas” para baixo.

Nós vamos encaminhar estas dúvidas para a Raveo e se ela nos responder, prontamente traremos as respostas no UV.

Em tempo: A Raveo nos respondeu no dia 13/02/2019. Você poderá ler as respostas sobre nossas dúvidas clicando no título da nova matéria: Raveo envia respostas sobre dúvidas acerca do Concert One.

Bom divertimento!

Site da Raveo: https://raveo.com.br/

________________________

Todo domingo às 19h na Rádio UFS FM 92,1 tem o programa Conversa de Vinil
Você pode escutá-lo pela web em radio.ufs.br ou a partir do podcast, clicando aqui

Quer saber mais sobre o “ressurgimento” do Vinil? Clique aqui!
Quer saber sobre a qualidade sonora do Vinil, do CD, do streaming e do MP3? Clique aqui!
Sobre os toca-discos? Clique aqui!
Cuidados com seus discos? Clique aqui!
Como e onde comprar? Clique aqui!
Quer interagir? Utilize a seção contato, clicando AQUI!
Faça o download gratuito das nossas publicações ou as adquira no formato papel para ajudar o UV a se manter, clicando AQUI