Seu toca-discos não soa bem? Pare tudo!

Se você é dos nossos, fã de discos de vinil, já deve ter se deparado com toca-discos onde o som não soa bem e, muitas vezes deve ter colocado a culpa no player de vinil, não é mesmo?

Pois, então, pare tudo e preste a atenção!

O som não sair bem legal do vinil não é culpa somente do toca-discos e muito provavelmente não é culpa dele. Há outros locais que podem ser os “culpados”!

Vamos ao que importa:

O som que emana do vinil precisa passar por alguns aparelhos: toca-discos (aqui incluímos as cápsulas e agulhas), preamp, receiver ou amplificador e por fim as caixas de som (sem contar que pode ter neste conjunto ainda um equalizador e alguns costumam usar uma mesinha de som e/ou “otras cositas más”).

Em suma: o som do vinil não vem somente do toca-discos. Vem de um conjunto de outros aparelhos voltados para o áudio. E é este conjunto de apetrechos eletrônicos que vai emanar o som dos discos de vinil.

Por isso é importante fazer uma checagem antes de pensarem que a culpa é do toca-discos:

A primeira coisa é verificar se as caixas de som estão em bom estado. Muitas vezes o som ruim pode ser de alto-falantes danificados ou de caixas que não são boas mesmo. Neste caso, só trocando de caixas ou de alto-falantes.

Outra coisa, é verificar se o seu toca-discos vem com um preamp embutido e se ele tiver a opção de não usá-lo, tente colocar seu TD na entrada phono do seu receiver. É normal o problema ser na placa do preamp embutido e, neste caso, basta desliga-la e usar o phono do receiver – já ouvimos casos de excelentes toca-discos onde o preamp embutido simplesmente é ruim e bastou desconectá-lo e usá-lo no phono do receiver para obter um áudio melhor.

Seguindo este raciocínio, mas invertido, o problema pode estar na “parte phono” do seu receiver. E se seu gira-discos (como dizem os portugueses) não tiver o preamp embutido, tente arrumar um preamp externo emprestado e faça o teste pela entrada auxiliar do seu receiver. Esta é uma hipótese que não deve ser descartada.

Por fim, o óbvio: verifique se a agulha está boa e não estando, troque-a. Da mesma forma, veja se é possível fazer o upgrade da cápsula e substitua por uma melhor.

Ah! E não esqueça dos cabos! De tempos em tempos é preciso trocá-los, pois com o manuseio podem se deteriorem e já falamos sobre este caso aqui,  pois, isso é mais sério que muita gente pensa: Falando em sistema de som, temos que falar de cabos e conectores.

Se de tudo, nada disso corresponder a uma saída de som agradável aos ouvidos, podes crer, seu toca-discos provavelmente é o culpado.

Mas, lembre-se: no mundo dos discos de vinil sempre é preciso um esforço, um suor, para deixar o sistema de som bacana – é preciso ajustá-lo com muita frequência.

E por fim, verifique se seu conjunto é de acordo com cada peça. Um toca-discos de primeira jamais vai ofertar um áudio de qualidade se ele estiver junto a um receiver ou amplificador de segunda. Ou seja, usar uma Ferrari numa via esburacada não te dará tudo que a Ferrari pode te oferecer, bem como o contrário, um receiver maravilhoso jamais fará a mágica de te oferecer um som dos deuses se o toca-discos for de quinta categoria e, por fim, pense em usar um equalizador. Os puristas não gostam, mas este eletrônico de áudio pode fazer alguns pequenos milagres.

________________________

Todo domingo às 19h na Rádio UFS FM 92,1 tem o programa Conversa de Vinil
Você pode escutá-lo pela web em radio.ufs.br ou a partir do podcast, clicando aqui

Quer saber mais sobre o “ressurgimento” do Vinil? Clique aqui!
Quer saber sobre a qualidade sonora do Vinil, do CD, do streaming e do MP3? Clique aqui!
Sobre os toca-discos? Clique aqui!
Cuidados com seus discos? Clique aqui!
Como e onde comprar? Clique aqui!
Quer interagir? Utilize a seção contato, clicando AQUI!
Faça o download gratuito das nossas publicações ou as adquira no formato papel para ajudar o UV a se manter, clicando AQUI