O mercado já decidiu: vinil é o que vende e o CD está na UTI

Todo mundo sabe que as vendas de vinil estão em pleno crescimento no mundo todo e encontrar um toca-discos para comprar vem sendo cada vez mais fácil. Porém, num primeiro momento e para alguém que não está muito a par dos acontecimentos da indústria da música e de eletrônicos de áudio, pode parecer estranho o que vamos dizer aqui, mas qualquer um poderá fazer a mesma pesquisa e vai se deparar com uma quase total ausência de comercialização de CDs Players no mercado brasileiro, excetuando aqueles que vêm nas vitrolas “tudo em um” e em alguns poucos rádios portáteis, mais conhecidos como boombox. Se o(a) leitor(a) for procurar um CD player de mesa irá cair para trás com o que está disponibilizado no mercado. Somente produtos premium de grandes marcas como Marantz e Denon e num preço superior a 3 mil Reais e, olhe lá, são dois ou três modelos.

Estranhamente, é mais fácil achar no comércio nacional toca-discos que tocadores de CD. Até os computadores, seja desktop ou notebooks não oferecem mais a opção de colocar um leitor de DVD/CD para oportunizar audições dos discos digitais nas máquinas. E para solucionar este problema (seria um problema?) só comprando um leitor/gravador de DVD/CD externo. Alguém poderia dizer ou pensar: posso adquirir um leitor de mesa de DVD para ouvir meus CDs? Poder, pode! Mas também vai descobrir que até os DVDs Players estão sumindo das lojas!

Mas, a grande pergunta é: os CDs ainda são mais vendidos que os discos de vinil? Sim! Porém, faz anos que as vendas dos Compact Discs vêm caindo acentuadamente no mercado tanto nacional quanto internacional e hoje, nas nações onde o dólar alto não atrapalha o comércio de vinil, o disquinho preto e às vezes colorido de plástico vem obtendo muito mais lucro no total de vendas que os CDs. Sem contar os serviços de streaming que é a “menina dos olhos” da indústria do entretenimento, seja para música ou filmes.

O que nos faz espantar é que quem decidiu “matar” de vez os CDs não foi a indústria fonográfica, mas sim a de eletrônicos de áudio. Hoje, esses últimos não apostam mais em colocar modelos de CDs players no mercado e sim, todas as suas fichas, quando fala em aparelhos de som, estão na oferta de novos modelos de toca-discos e soluções para streaming e arquivos digitais.

O CD e, talvez, o DVD estão na UTI… Se você preza escutar (e/ou ver) seus discos digitais, preserve com carinho seus aparelhos tocadores, pois, substituí-los está cada vez mais difícil.

_______________________