Vinil é mais vendido que CD pela primeira vez desde os anos 80

A RIAA (associação das gravadoras dos EUA) lança dois relatórios por ano, um parcial de meio de ano e outro de conclusão. Neste parcial afirma que os ouvintes de música compraram mais discos de vinil do que CDs no primeiro semestre de 2020, marcando a primeira vez desde os anos 1980 que os CDs não eram o meio físico dominante. O Universo do Vinil já tinha previsto isso praticamente um ano atrás na matéria que fala sobre a possibilidade já em 2020 de termos mais vinil sendo comprados que CDs. Leia, Venda de vinil será maior que CD nos EUA, uma matéria de 08/09/2019.

Da receita total de música física no primeiro semestre do ano (US $ 376 milhões), 62% dessa receita veio das vendas de vinil (US $ 232 milhões). As vendas de música física em geral foram significativamente impactadas pelo varejo de música e fechamentos de pontos de vendas devido ao COVID-19.

Em outro parte do relatório, as conclusões indicam que o negócio da música ainda experimentou um ligeiro crescimento no primeiro / segundo trimestre, embora a taxa de crescimento tenha sido bloqueada pela pandemia em andamento. O relatório também observa que a receita de download digital ($ 351 milhões) e a receita de vendas físicas ($ 376 milhões) caíram abaixo da receita gerada por streaming sob demanda com suporte de anúncios ($ 421 milhões) pela primeira vez. Encontre o relatório de estatísticas de receita do meio do ano da RIAA aqui.

_______________________