No Dia do Rock: as bandas e artistas que abalaram a indústria da música

O Universo do Vinil não podia deixar passar em branco o Dia do Rock. Abaixo artistas e/ou bandas do rock and roll que abalaram o mundo e que, com certeza, revolucionaram a música e mudaram, definitivamente, a sua forma de escutar as melodias, influenciando totalmente a música popular atual, seja de qual gênero for (pode ficar pasmo, mas até nosso samba e sertanejo sofreram essas influências), e modificando a própria indústria da música.

E ainda tem mais, o gênero rock é o preferido da galera que curte vinil. Nas pesquisas do UV (clique aqui para ver nossas pesquisas), o rock sempre é o gênero predileto dos amantes dos discos de vinil. E não é sem motivo que os clássicos e os álbuns mais importantes e queridos deste tipo musical vêm sendo reeditados no formato do disquinho de plástico, preto e às vezes colorido.

Sem contar que todos os citados aqui, sem exceção, foram campeões de vendas de discos. Foram milhões e milhões de discos de vinil vendidos! E quando o formato migrou para o CD, continuaram as vendas e, ainda hoje, com o retorno do vinil, continuam sendo comercializados horrores de bolachões.

Aliás, resumindo, vinil e rock andam de mãos dadas!

Não vamos aqui trazer uma ordem cronológica e nem de importância. Todos estes foram vitais para a mudança de comportamento na forma de escutar, compor, cantar e comercializar a música, sem contar que influenciaram comportamentos e formas de ver o mundo.

É óbvio que alguém pode dizer e a banda tal e o artista tal que não está nesta lista? Lamentamos, mas uma lista definitivamente não agradará todos e, com certeza, sempre faltará algum.

Elvis Presley:

A indústria da música ou indústria fonográfica não seria a mesma sem Elvis. Foi, a partir dele que essa indústria se tornou milionária e poderosa. Mas como?

Elvis foi o cantor que mostrou aos executivos desse mercado que um artista poderia ser maior que sua obra e que este artista poderia ganhar e trazer dinheiro para essa indústria além dos discos vendidos.

Elvis fez com indústria fonográfica o que antes não se fazia (ou pelo menos com tanto êxito), ou seja, ultrapassar os limites do palco, das vendas de vinil, e indo a outros setores (como o cinema, por exemplo) vendendo a imagem do artista com tanto sucesso como ele vendeu.

Elvis era e sempre será o Rei do Rock, mas não foi o inventor nem o precursor deste gênero. Antes dele já tínhamos Chuck Berry e Bill Halley, por exemplo. Mas Elvis foi o “garoto propaganda” deste ritmo que haveria de encher os bolsos das grandes gravadoras. Se o rock se tornou popular, muito é influência de Elvis Presley. Mas não foi só na música, Elvis quebrou barreiras sociais, de comportamento e até sexuais perante o conservadorismo norte-americano. Nenhum outro artista da música até então teve tanta influência na sociedade.

Elvis foi enorme! Ah e, óbvio, Elvis não morreu!

Foto: Nós poderíamos postar qualquer vinil dele, mas optamos por essa coletânea que apresenta grandes sucessos do cantor e é muito popular nas lojas de vinil usado.

Black Sabbath:

Não precisamos dizer muita coisa sobre o Black Sabbath, basta falar que se o rock pesado nasceu, este disco inaugural do Black Sabbath era a gestação de tudo que conhecemos como heavy metal e congêneres.
Para não ser tão exclusivo no Sabbath sobre o rock pesado, poderíamos dar uma razão para o nascimento do rock mais pesadão também com o álbum do Deep Purple, Deep Purple In Rock. Ambos os álbuns são de 1970. Que ano, heim? Ah! E não podemos esquecer do Led Zeppelin, mas ele estará mais abaixo.

Na foto o álbum homônimo de 1970 e inaugural do Black Sabbath e um dos divisores de águas na música dos dias de hoje.

Led Zeppelin:

O Led trouxe uma nova qualidade para o rock e, consequentemente, para toda a música popular contemporânea. A relação entre bateria e baixo, os acordes da guitarra, a voz rouca do Jimmy Page e até suas vestimentas e performances no palco influenciaram significativamente a indústria da música e a forma de ouvir, compor e cantar as melodias. O mundo não seria o mesmo sem a sonzeira do Led Zeppelin!

Na foto o LED popularmente chamado como IV (1971) que é uma espécie de síntese em grau aprimorado de toda a obra do Zeppelin. Todavia, muitos consideram o Led II como o mais influente, melhor e o maior disco deles.

Kraftwerk:

Se vc curte Daft Punk, Alok e cia saiba que eles são “filhotes” da sonoridade destes alemães. E se vc curte alguma música com a presença de instrumentos eletrônicos como teclados e etc colocando a música sintética na melodia, saiba que quem popularizou o uso deste tipo de sonoridade foram os membros da banda alemã, Ralf Hütter; Fritz Hilpert; Henning Schmitz e Falk Grieffenhagen.

Kraftwerk revolucionou a música e, particularmente o rock, ao elaborar composições praticamente 100% sintéticas e imagine o que era fazer isso no início dos anos 70? Loucura, né?

Autobahn (1974) é uma “ópera eletrônica”, ao escutar vc percebe e sente que está dirigindo ou num automóvel pelas autoestradas alemãs. E esta capa é da primeira versão brasileira.

Pink Floyd:

Pink Floyd foi um dos maiores vendedores de vinil na época (e ainda é até hoje, em CD, streaming e qualquer formato atual que você imagine). Particularmente, The Dark Side of the Moon (1973), foi um marco na indústria da música. É um dos álbuns que mais se manteve na lista do mais vendidos (e até recentemente nas listas do comércio de vinil continua no topo dos mais vendidos) e mostrou um conceito de composição que carrega temas como loucura, conflito, ambição, mortalidade e a trivialidade da vida.

Em suma, Pink Floyd pavimentou o que seria do rock alternativo e experimental nos dias de hoje, afinal, quem imaginaria um disco que inicia com batimentos cardíacos, né?

Beatles:

Este é outro que nem precisamos falar muito. Todos sobem que os Beatles revolucionaram a música popular, inclusive, no comportamento da juventude.

Mas, aqui mostramos o vinil Revolver (1966). O disco que definitivamente trouxe novas sonoridades e formas técnicas de se fazer um disco para todo e qualquer estilo musical que o leitor ou leitura esteja escutando agora e que não seja oriundo das culturas como o folclore e alguns sons eruditos, por exemplo.

Revolver foi a revolução dos próprios Beatles na sua performance de compor e executar as melodias. E o álbum Robber Soul (1965) já dava mostra do que viria.

Revolver é a guinada para o psicodelismo na música dos Beatles. É um álbum icônico que seria muito difícil ser apresentado ao vivo com a tecnologia da época por abusar de loops, cordas, efeitos de guitarra e muita engenharia de som. E tudo isso trouxe uma nova qualidade para música contemporânea.

E depois dessa leitura é só pegar um discos de vinil destes e curtir no seu toca-discos!

Feliz Dia do Rock!

Imagem da capa: fonte Pixaby
Imagens internas: acervo do Universo do Vinil (todos os direitos reservados)

_______________________

 

Todo domingo às 19h na Rádio UFS FM 92,1 tem o programa Conversa de Vinil
Você pode escutá-lo pela web em radio.ufs.br ou a partir do podcast, clicando aqui

Quer saber mais sobre o “ressurgimento” do Vinil? Clique aqui!
Quer saber sobre a qualidade sonora do Vinil, do CD, do streaming e do MP3? Clique aqui!
Sobre os toca-discos? Clique aqui!
Cuidados com seus discos? Clique aqui!
Como e onde comprar? Clique aqui!
Quer interagir? Utilize a seção contato, clicando AQUI!
Faça o download gratuito das nossas publicações ou as adquira no formato papel para ajudar o UV a se manter, clicando AQUI