O vinil usado lançado relativamente recente está caro: o que fazer?

Recentemente a Biscoito Fino relançou os discos de vinil do Chico Buarque (Chico de 2011) e da Maria Bethânia (Oásis de Bethânia, 2012) que estavam fora de catálogo e isso mexeu muito com vendedores e colecionadores de vinil destes artistas, afinal, estes discos podiam ultrapassar fácil a casa dos dois mil Reais nas transações de usados e, de repente, caíram para o preço de mercado. Subitamente, como se fosse num passe de mágica, estes preços fenomenais desmoronaram do dia para noite. Bastou a gravadora relançá-los. E isso fez a alegria de fãs que esperavam o dia em que estes discos de vinil estivessem com um preço camarada para, enfim, irem para seus toca-discos.

E olhe que apenas colocamos dois exemplos. Na verdade, essa prática é corriqueira no mercado de usados com inúmeros outros casos que não adiantaria colocarmos aqui, afinal, todos caem no mesmo problema.

Assim, quantos de nós não pagamos mais de mil moedas em discos que estiveram fora de catálogo, pois, estávamos loucos para os ter? Acreditamos que muitos dos amantes do vinil passaram por situações parecidas. E acreditamos mais ainda que alguns destes que pagaram foram afoitos na compra ou descrentes que algum dia estes vinis voltariam para os estoques.

Então, a nossa pergunta é: pode o mercado de usados inflar preços de vinil que são passíveis de serem relançados? Na lógica do mercado, pode. Mas na nossa, basta compreendermos bem este mercado que haverá saída usando menos dinheiro e, num belo dia, o tão sonhado vinil estará girando no toca-discos.

Dois avisos antes de você continuar a leitura: se você faz questão dos originais de época e não gosta de reedição, este artigo não encaixará com seus propósitos. Também é bom frisar que não existe matemática absoluta na indústria da música, ou seja, o que falaremos abaixo são probabilidades e não um resultado exato e totalmente factível de acontecer. Mas, o raciocínio que levamos abaixo pode lhe ajudar a ter no futuro aquele álbum que você tanto quer no seu toca-discos.

Outra questão, é que obviamente, não estamos falando aqui de discos de vinil bem antigos, raros e fora da visão da gravadora e/ou selo para relançamento e, mesmo assim, para enrolar mais ainda o pensamento, até estes podem ser relançados. Por exemplo, o álbum Coisas do Moacir Santos foi, por muitos anos um dos mais raros, e a Polysom o relançou. Quando este álbum saiu do estoque do primeiro relançamento, seu preço de usado chegou a subir um pouco, porém, recentemente foi lançado novamente e aí, voltou ao patamar de valores normais de discos. Dessa forma, também foi com o Paêbirú do Lula Cortês e Zé Ramalho, entre muitos outros.

No Mercado Livre
No site da Biscoito Fino
No Mercado Livre
No site da Biscoito Fino
Na Amazon em 23 de julho de 2022

Há discos que de fato, mais cedo ou mais tarde, podem voltar para os catálogos.
Estes, geralmente, são discos de grandes artistas, com lançamentos de apenas alguns anos atrás e suas obras são muito consideradas pelos fãs. Neste rol, além dos citados acima podemos incluir Gilberto Gil, Milton Nascimento, Caetano Veloso, Rita Lee ou qualquer cantor, cantora e banda que continue no coração de um contingente grande de fãs e aqueles considerados históricos e importantes para a música e que já não estão mais entre nós, como por exemplo, Sergio Sampaio ou Nara Leão, que tiveram recentemente discos relançados.

Há, também, as bandas e artistas muito cotados que já saíram da ativa, como Beatles e Pink Floyd, por exemplo, mas continuam sendo verdadeiros campeões de vendas – acreditamos que estes terão seus discos sempre reeditados de tempos em tempos, pois, as gravadoras vão soltar novas edições motivadas pela venda certa. Neste rol, um exemplo nacional são Os Mutantes que num tempo relativamente recente teve sua discografia reeditada e o Legião Urbana também passou por este processo, apesar de hoje ter um imbróglio sobre os direitos autorais da banda brasiliense

Aproveitem e leiam a matéria Uma coisa bacana no vinil de hoje: os relançamentos.

Discos de vinil de artistas e bandas de real valor artístico, mas que seja pouco conhecido pelo público.
Em geral tendem a não ter repeteco nas edições. Geralmente sai o álbum A ou B em vinil e pronto e, muito provavelmente, nunca mais será reeditado ou com baixíssimas chances de ser e quando for, sairá em pequena tiragem e difícil de saber que saiu (afinal, este tipo de artista não costuma estar muito na mídia, exceto nas publicações especializadas).

Outra coisa importante a ser levado em conta é pesquisar em sites estrangeiros se a obra foi reeditada em algum país, tal como, o álbum Transa do Caetano. O nacional e usado é mais raro de ser encontrado e com um preço habitualmente inflado, porém, ele está à venda em sites estrangeiros, com preço bem competitivo e recém-lançado em outras terras distantes da nossa Tupiniquim. Observação importante: é fácil comprar de lojas estrangeiras pela internet – basta dar uma boa pesquisada no Google para saber quais são confiáveis e é uma opção regularmente usada pelos fãs dos discos de vinil. Outra condição é ver se alguma loja brasileira virtual ou física está vendendo o disco importado.

Na JUNO UK em 23 de julho de 2022

Portanto, a questão principal é o leitor ou leitora compreender bem quem é o artista ou a banda do disco que não tem o vinil em posse (mas o quer ter) para chegar a um final feliz sem desembolsar algumas pequenas fortunas. Desta forma, a resposta é ter paciência (esperar, mesmo que dure alguns anos a reedição) e pesquisar bem qual é o tamanho do mercado deste cantor, cantora ou banda. Sem contar que um tiquinho de sorte sempre é bom. Fazendo esta análise, a tendência é que mais cedo o mais tarde terá o disco em mãos com preços justos. Ou, compreenderá o tamanho do público do seu artista e verá que o disco, efetivamente, tem poucas chances de voltar às prateleiras das lojas e ao e-commerce de vinil. Aí, se quer muito ter, só pagando o valor de venda atual.

Resumindo: a questão é paciência e conhecimento!

_________________________

Sites:
Biscoito Fino
Juno UK
Amazon

Sugestão de sites nacionais que vendem discos importados novos e usados:
Record Collector Brasil
Limaia Discos
Balaio Discos

Imagens:
Das moedas: carlitocanhadas
Capa: Bruno /Germany

_______________________

 

Todo domingo às 19h na Rádio UFS FM 92,1 tem o programa Conversa de Vinil
Você pode escutá-lo pela web em radio.ufs.br ou a partir do podcast, clicando aqui

Quer saber mais sobre o “ressurgimento” do Vinil? Clique aqui!
Quer saber sobre a qualidade sonora do Vinil, do CD, do streaming e do MP3? Clique aqui!
Sobre os toca-discos? Clique aqui!
Cuidados com seus discos? Clique aqui!
Como e onde comprar? Clique aqui!
Quer interagir? Utilize a seção contato, clicando AQUI!
Faça o download gratuito das nossas publicações ou as adquira no formato papel para ajudar o UV a se manter, clicando AQUI