Gravadora canadense aposta em música em disquete

A gravadora canadense Strudelsoft aposta na onda retrô e está produzindo e vendendo música em disquetes.

É isso mesmo que você leu: os disquetes ou floppys! Aquelas mídias dos anos 90 que, praticamente, sumiram dos computadores nos anos 2000 em diante.

Mas, a lógica da Strudelsoft advém das vendas de fitas cassetes. De acordo com os dados mais recentes da Nielsen Canada, as vendas de fitas cassete pré-gravadas aumentaram 135% em relação ao mesmo período do ano passado. No Canadá, um total de 4.000 cassetes foram vendidos em todo o ano de 2018, em comparação com 1.700 neste mesmo período do ano passado.

Nos anos 90, alguns pessoas acharam que os disquetes seriam ótimos para distribuir música (ou material relacionado à música), apesar de sua capacidade máxima ser menor que 1,5 megabytes, e Sterling Campbell acha que o disquete 3.5 não está morto. Seu novo empreendimento é o Strudelsoft, um selo que lança músicas apenas nesses disquetes antigos.

“Os disquetes são mais baratos do que os cassetes, parecem atraentes, estão disponíveis em muitas cores e têm designs bacanas que as pessoas gostam”, diz Matthew Isom, 40 anos, de San Diego, Califórnia. do selo Power Lunch, que observa que os disquetes também custam substancialmente menos para enviar para o exterior do que os cassetes.

Há aspectos menos convenientes para o formato, é claro, mas os aficionados por disquetes encontraram maneiras de trabalhar dentro de seus limites. “Eu descobri, depois de estudar, que você pode realmente liberar cerca de 11 minutos e 38 segundos de áudio de 8 bits em um disquete”, diz Campbell, que lançou seis disquetes até agora pela Strudelsoft. “O primeiro que eu fiz foi de um artista  chamado Cat System Corp e eu tive a venda de 20 disquetes. E isso acabou em 8 segundos.

Nós do UV fomos até a página da Strudelsoft – clique aqui para ir à loja online – e vimos que venderam tudo, mesmo com a advertência que o conteúdo não tem grande qualidade no áudio – “please note: The audio quality on the Studelsoft Bandcamp is reflective of what is on the actual floppy disk: 8000 Hz Stereo, 8-bit, 18 Kbps CBR MP3s”.

Estas vendas totais seriam sucesso ou foram vendas para curiosos? Ou é uma ação de marketing para venderem downloads pagos? Infelizmente, no momento que visitamos a loja online já não existiam mais os preços dos floppys – tinha somente aviso de esgotado – por isso não tivemos conhecimento do preço das obras nos disquete, todavia, o download custa 1 dólar canadense cada álbum, e ao comprar o disquete o proprietário passa a ter acesso aos streaming das músicas e ao download nos formatos MP3, Flac e etc, como no aviso, por exemplo,  para o trabalho do Chaos Y2k: “includes unlimited streaming of  via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more”.

Quem viver verá. Não sabemos se isso é uma jogada de marketing, mais uma tendência da onda vintage/retrô ou mais um formato disponível para venda de música, afinal, estamos num mundo cada vez mais plural e diversificado para a comercialização de áudio gravado. Portanto, se for do agrado de alguns que continuem existindo os “disquetes musicais”. Resta saber quem tem hoje em dia um computador com drive de disquete…

 

 

Você leu essa matéria no Noticias do Vinil do UV. Leia mais notícias clicando aqui e nossos artigos semanais e especiais, aqui