Redutos de resistência do disco no Distrito Federal

As lojas existentes de vinil, LP, CD e Fitas K7 continuam resistindo no DF e ainda contam com clientes fiéis ao antigo formato de música

Por Titânico Mello

Espalhadas em pontos diferentes da capital, as lojas que ainda vendem LPs atraem, cada vez mais, um público jovem que nem era nascido no apogeu do disco das décadas de 60 a 90. Os adolescentes de 13 a 16 anos que frequentam os comércios que vendem os bolachões descobrem através desse formato o novo prazer de ouvir música em sistema analógico.

Fãs, pesquisadores, colecionadores e adeptos da arte do disco, que em décadas anteriores foram uma febre nacional, podem encontrar alguns lugares para comprar e adquirir algumas relíquias em lojas especializadas na compra e venda de LPs.

No Plano Piloto, os redutos do disco existentes são poucos, como da 215, na Asa Norte, e do Conic, no Setor de Diversão Sul, e também em Taguatinga com a filial no shopping. As grandes lojas em Brasília que comercializavam o vinil e as fitas K7 “quase” não existem mais. A extinta Gabriela Discos, que foi pioneira no ramo dos preços populares e na facilidade da compra, tinha 15 redes em todo DF e também disponibilizavam de crediário para vendas de discos e K7s, além de instrumentos.

mapa-distrito-federal

O cliente pagava pelos lançamentos ou catálogos da loja em LPs e fitas K7 dos mais variados artistas musicais ou de trilhas sonoras de novelas das 8h, em até 12 vezes com parcelas sem juros. Todo o diferencial da rede também eram as vendas de acessórios para aparelhos de som. A loja era única do Distrito Federal que vendia agulhas importadas made in Japan que tinham a ponta de diamante e instrumentos populares, como violão, guitarra, sanfonas e pandeiros. A falência da loja ocorreu logo após a transição do LP para o CD e depois com a pirataria. A Gabriela fechou as portas da sua última loja em 1998, no Venâncio 2000.

No mercado de venda há 40 anos no Distrito Federal, a loja Discodil é a única sobrevivente das grandes lojas do ramo da música. A matriz é localizada na C-10 em Taguatinga Centro e também tem uma filial na Asa Norte. O acervo histórico é vendável, que vai desde CDs, DVDs, violões e variados instrumentos musicais.

Encontra-se nas lojas CDs compilados de antigos vinis da série “Disco de Ouro”, de cantores (as) e grupos da jovem guarda, música brega, música caipira sertaneja, lambada, flashback, rock ‘n roll e MPB. Séries clássicas lançadas em boxes (caixas especiais e remasterizadas) dos seriados Tarzan, Batman, Hulk, Zorro e Bonanza. Além dos clássicos filmes do cinema americano, como os de faroeste.

Evandro Wandemissom, gerente da matriz em Taguatinga, revelou o sucesso da loja. “Em 1982 fomos premiados como a loja que mais vendeu vinil em todo o Brasil, ganhamos até um disco de ouro pela conquista. A partir de então acompanhamos todas as transições do LP, do vinil para o CD, do VHS para o DVD. Quando optamos em trabalhar com os clássicos foi porque os nossos clientes pediram, já que em outras lojas não tinham esse acervo que temos”, comentou Evandro.

Outro reduto do vinil é a Berlin Discos – Rock’ N Roll Total, localizada no edifício Miguel Badya, no Conic da Asa Sul. Com mais de dois mil vinis disponíveis para venda, a loja roqueira comercializa muitas preciosidades e relíquias em disco do classic rock, heavy metal, punk rock e rock nacional, como os primeiros LPs do Iron Maiden, Van Halen, Pink Floyd, The Beatles, The Ramones, The Jackson 5, The Rolling Stones, U2, Barão Vermelho, Titãs e Legião Urbana

Quando a questão é rock ‘n roll candango, a Berlin é referência no assunto. Além de ser o ponto de encontro de adolescentes e jovens é também o comércio preferido dos fãs dos bolachões, como são chamados pelos colecionadores. Na loja, os long plays estão preservados em ótimo estado, organizados, separados por ordem alfabética e com preços que variam de R$ 10 a 150. Outro destaque do reduto é o fator histórico. A loja do Conic foi a principal divulgadora em promover as bandas brasiliense da década de 80 e 90. Era comum encontrar músicos conhecidos frequentando o lugar. O cantor gospel Rodolfo Abrantes (ex-vocalista dos Raimundos e Rodox), Alf (vocalista dos Rumbora), Loro Jones (ex-guitarrista do Capital inicial) são clientes fiéis da loja.

Rafael Megera, vendedor de discos da Berlin Discos, falou a respeito das pessoas que procuram os vinis. “Tem gente de todas as idades que procuram por discos que nem foram lançados ainda em CD. A Berlin tem esse triunfo de possuir peças raras para muitos colecionadores. Na década de 90, por exemplo, muitas pessoas desfizeram de seus discos. Hoje como o vinil voltou à ativa, as mesmas estão atrás desses LPs, uns até encontram aqui e outros já foram vendidos”, avaliou Rafael.

Outra loja também em destaque é o Sebo Musical Center, que está localizada na CLN 215, na Asa Norte que funciona há 26 anos. Lá encontram-se diferentes estilos musicais, especificamente para vinil, como aparelhos de som, vitrola e gramofones. O sebo conta com mais de 10 mil LPs à venda e troca, além é claro de comprar antigos vinis. Os mais variados nomes da música e com preços acessíveis que variam de R$ 5 a 300.

A loja ainda possui uma grande variedade de boxes (caixas que contém em edições especiais e remasterizadas de CDs e livreto) são encontradas lacradas, algumas em ótimo estado de conservação. O lugar é habitado por colecionadores, pesquisadores, músicos, fãs de rock e jornalistas. O que impressiona é a quantidade e a qualidade dos vinis, já que tem discos que foram lançados há mais de 50 anos atrás. Paulo Moreira, dono do Sebo Musical Center, comentou a longevidade do disco e sobre a feira do disco que acontecerá em dezembro. “Existem LPs aqui que foram lançados há mais de 50 anos, enquanto for mais raro, maior será o preço da raridade. Existe um valor exato da obra, vai do cliente se quer levar ou não. Na feira do disco, que vai acontecer em dezembro, você verá disco que custam de R$ 1 a 500 ou mais”, falou Paulo Moreira.

O autor:

titanicoEu sou Titânico Mello, tenho 38 anos, sou jornalista, tenho uma web rádio, a Super Rock FM, link: http://superrockfm.minhawebradio.net/, trabalho no Senado Federal, sou casado, tenho um filho chamado Elvis e esposa, Luciana Crisóstomo. Sou amante do vinil, tenho de dois a três mil discos. Comecei a comprar vinil muito cedo, com dez anos em 1988, o primeiro foi o Apetite For Destruction dos Guns N Roses. Mas tenho aquelas coleções corriqueiras, como do Led, Sabbath, Iron, Purple, AC DC, The Ramones, entre outras. Curto ROCK N ROLL em todas suas vertentes.
Recentemente, por exemplo, completei a minha coleção da banda new romantic Duran Duran, o disco The Wedding, (o disco do casamento, como é conhecido) de 1993, um clássico do grupo, neste álbum que contém dois LPs com as clássicas Ordinary World, Come Undone e Breath After Breath com dueto do Milton Nascimento. Na época os cadernos de cultura, deram nota: 9,0 para o discão.