Vendas de vinil também crescem no Reino Unido

Depois que saíram os números dos EUA mostrando que as vendas de vinil crescem pelo 11º ano consecutivo é a vez dos números da Inglaterra.

As vendas de vinil em 2016 nas Terras da Rainha atingiram uma das maiores altas dos últimos 25 anos. Mais de 3,2 milhões de LPs foram vendidos no ano passado, um aumento de 53% em relação ao ano de 2015 e o maior número desde 1991, quando Simply Red’s Stars foi o álbum mais vendido. Este também foi o primeiro ano que os gastos com vinil ultrapassaram os gastos em downloads digitais.

As mortes de alguns gigantes mundiais da música foram um fator chave nas vendas de vinil, já que as pessoas investiram em discos como lembranças. Após a morte de David Bowie, ele se tornou o artista de vinil mais vendido de 2016, com cinco álbuns apresentandos no top 30. Seu álbum Blackstar, que foi selecionado para um prêmio Mercury, foi o álbum mais vendido do ano, enquanto The Rise And Fall de Ziggy Stardust, Hunky Dory, Nothing Has Changed e Changesonebowie também foram populares no formato.

As estatísticas, compiladas pelo BPI, mostram que este é o nono ano consecutivo em que o vinil cresceu graças a eventos como o Record Story Day, que se tornou um fenômeno nacional e o aumento das lojas de vinil. Supermercados como Tesco e outros criaram novos e mais espaços para venderem mais vinis.

Pelo menos 30 álbuns venderam mais de 10 mil cópias em 2016, um forte contraste com 2007, quando os downloads digitais começaram a se concretizar e um total de 200.000 LPs foram vendidos em geral.

Vanessa Higgins, CEO da Regent Street e Gold Bar Records, e um membro independente do BPI Council, disse: “É verdade que as pessoas mais velhas estão voltando ao vinil, mas eu também acho que a geração mais jovem está descobrindo isso de alguma maneira”.

Enquanto as vendas de vinil ainda representam apenas 5% do mercado de álbuns, elas estão se tornando cada vez mais importantes fontes de renda para gravadoras e músicos.

Fonte: The Guardian